Vereadora é sequestrada e assassinada, em Goiás

Vereadora é sequestrada e assassinada, em Goiás

- emGoiás, Polícia
Vereadora (Foto: reprodução)

Roseli Aparecida de Oliveira, de 55 anos, vereadora pelo DEM em Bom Jesus de Goiás, foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira (3), dentro de seu carro, às margens da BR-452, no sul goiano.

Segundo a Polícia Civil, a mulher foi sequestrada durante o roubo do veículo em sua casa. Durante a fuga os criminosos bateram o automóvel da vítima e em seguida, conforme a investigação, atiraram contra Roseli.

“Durante a fuga, eles alegam que a vítima teria tentado reagir, e o motorista perdeu o controle do veículo. Eles bateram numa árvore e efetuaram disparos contra ela”, disse o delegado responsável pelo caso, Rogério Moreira da Silva.

O assalto aconteceu por volta das 22h de domingo (2), na casa da família de Roseli. O delegado explicou que ela saiu na área para abrir o portão para o filho entrar na residência. Nisso, os assaltantes viram que havia um carro estilo sedan na garagem e abordaram a família.

“Eles a colocaram dentro do carro como garantia da fuga e seguiram na BR-452, sentido Bom Jesus de Goiás para Itumbiara”, afirmou o investigador.

(Foto: divulgação / Polícia Civil)

Prisão

De acordo com o delegado, logo após o assalto, as polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal iniciaram as buscas pela vereadora. Por volta das 6h desta segunda-feira, as equipes encontraram dois homens, sujos e com ferimentos, caminhando às margens da BR-452. Os agentes desconfiaram da dupla e procederam abordagem.

Natanael Cardoso dos Santos, de 22 anos, e Gilberto Alves da Silva, de 26, confessaram o assalto. Após a prisão dos suspeitos, os policiais localizaram o carro da vítima, um Honda Civic, que estava às margens da rodovia.

Os assaltantes contaram à polícia que são de Itumbiara e saíram da cidade para Bom Jesus de Goiás com o intuito de roubar um carro sedan. “Os indivíduos relataram que passaram à tarde em busca de um carro e, quando escureceu, presenciaram situação de facilidade e abordaram a vereadora”, disse o investigador.

Conforme o delegado, Gilberto contou que, após a batida, Natanael atirou contra a vítima. Apesar da versão, a dinâmica deve ser confirmada pela perícia. “Ele disse que saiu do carro e escutou três disparos. Depois, o outro confessou que atirou. Ela tinha visto o rosto deles, acredito que ficaram com medo de serem identificados”, disse Rogério Moreira.

O delegado deve interrogar os suspeitos nesta segunda-feira e, em seguida, encaminhá-los para o presídio da cidade. Conforme Silva, as investigações continuam. O crime é tratado como latrocínio, roubo seguido de morte, até então não há indícios de motivação política.

Suspeitos (Foto: divulgação / Polícia Civil)

Comentários

Destaque

Morador de Rialma morre após ser atropelado na GO-230, entre Uruana e Rianápolis

    Um morador da cidade de Rialma