Professora Regislene Fernandes é Pré-Candidata a vereadora pela cidade de Ceres: confira sua trajetória

Professora Regislene Fernandes é Pré-Candidata a vereadora pela cidade de Ceres: confira sua trajetória

- emCeres, Goiás, Política

Regislene Maria Fernandes Silva, nasceu em 1973, em Anápolis–GO. A pré-candidata a Vereadora pela cidade de Ceres é Casada, professora efetiva da Rede Municipal de Educação de Ceres, formada em Pedagogia pela Universidade Metodista, Pós-Graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Montenegro, Pós-Graduada em Educação Infantil pela FABEC, sindicalista e ativista dos direitos das crianças e dos adolescentes.

Regislene chegou em Ceres aos 3 anos de idade com seus pais, Júlio Soares da Silva (Julião, ex-guarda do Curumim) e Onofra Fernandes Silva (ex-professora na antiga escolinha do Palmital), ambos funcionários públicos, já falecidos, e com seus irmãos, Rinaldo José Fernades Silva, Reginaldo Antônio Fernandes Silva e Renato Fernandes Silva.

De família humilde, porém honesta, Regislene teve uma infância difícil, mas destaca boas lembranças daquele tempo. Passou a adolescência e a juventude na Vila Nova Esperança, onde residiu até os 24 anos.

Criada e educada na Igreja Adventista do 7° dia, Regislene é Cristã e atribui todas as suas lutas e ações aos ensinamentos que teve dentro da Igreja, onde desenvolveu, dos 12 aos 28 anos, a função de professora de Escola Bíblica, ensinando dezenas de crianças, base para sua atual profissão (professora).

Aos 17 anos de idade começou a trabalhar formalmente. Seu primeiro emprego foi em uma fábrica de bordados, onde aprendeu sua primeira profissão: a de bordadeira. Trabalhou nessa empresa por 6 anos.

Hoje reside no Jardim Sorriso II, com seu esposo Fabrício Silvério de Paula e seus 3 filhos: Luiz Felipe Fernandes Mendes, Alanna Isla Fernandes Mendes e Sofia Lara Fernandes Silvério de Paula.

Em sua trajetória destaca que esteve por 2 mandatos, de 2001 a 2006, como conselheira tutelar na cidade de Ceres. Em 2010, tornou-se professora efetiva do município de Ceres, onde passou a demonstrar preocupação e interesse pelas causas relacionadas aos servidores públicos.

No ano de 2013, foi eleita Presidente do SINDCERES – SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE CERES. Desde então, vem realizando um intenso trabalho em prol das categorias de servidores, levando o sindicato a ser reconhecido em todo Estado de Goiás. Devido à sua desenvoltura frente ao sindicato municipal, ocupa a função de Vice-Presidente da FESSMEGO – FEDERAÇÃO DOS SINDICATOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE GOIÁS.

Em 2016, Regislene ampliou a área de atuação do sindicato, passando o mesmo a se chamar SINDVALE e, em 2018, foi reeleita à presidente, onde exerce a função com mandato até 2023.

Como sindicalista, trouxe vários benefícios e convênios para os servidores e a população ceresina, como os convênios com a Clínica Odontológica Goiás Odonto, que veio a se instalar na cidade de Ceres, no prédio do sindicato, e hoje atende tanto servidores quanto a população; convênio com a empresa São Francisco Odonto desde 2014 e o convênio com a Arctempos que já certificou cerca de 250 alunos no curso de Gestão em Segurança Pública. Implantou o Cartão de Compras do Servidor Público Real Card, que facilita as finanças dos servidores, movimenta recursos financeiros na cidade e valoriza o comércio local. Ainda por meio do sindicato, realizou também, vários cursos de capacitação profissional, qualificando para o mercado de trabalho aproximadamente 500 jovens.

Profissionalmente, como professora, Regislene trabalhou na Instituição Educandário Espírita de 2007 a 2009 e atuou como professora no Colégio Estadual João XXIII em 2010, ambos os lugares, dizem guardar boas lembranças e principalmente grandes aprendizados.

Atualmente, Regislene está como Diretora do CEPI Pequeno Principe, cargo que passou a desempenhar em janeiro de 2017. Como Diretora da Escola Pequeno Príncipe, Regislene desempenha sua função incansável no sentido de fazer uma gestão democrática onde suas ações e atitudes incentivem a participação social e o respeito entre pais, alunos funcionários e comunidade. Em sua gestão como Diretora, lutou juntamente com Professores, Comunidade Escolar e Secretaria Muncipal de Educação pela implantação da escola de Tempo Integral, onde no ano de 2019 a Escola Municipal Pequeno Príncipe passou a ser um Centro de Ensino em Tempo Integral – CEPI, atendendo mais de 350 crianças. Segundo Regislene Fernandes, a implantação da escola de tempo integral foi um sonho que se tornou realidade, graças a uma equipe de funcionários que são comprometidos com a Educação.

Além de suas atuações como Diretora, Presidente do SINDVALE e Vice-Presidente da FESSMEGO é ativista dos direitos das crianças e dos adolescentes, sendo atualmente Presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, com uma atuação firme e séria.

Regislene ressalta que é remunerada apenas como Professora e Diretora da escola, conforme determina o Plano de Cargos e Salários dos Professores de Ceres, sendo que todas as suas demais atuações são em caráter voluntário e amor a causa.

A professora Regislene Fernandes diz que, colocar seu nome à disposição para concorrer a uma cadeira no legislativo não foi uma decisão fácil, pois tem acompanhado vários processos, embates e discussões dentro da Câmara de Vereadores de Ceres e sabe das dificuldades futuras, caso venha a ser eleita, e é justamente por fazer parte desse processo, que decidiu concorrer, visando e pautando sempre o interesse do bem coletivo.

A pré-candidata vislumbra uma sociedade que carece de representantes corajosos, firmes, justos e que coloquem o interesse do povo acima dos seus próprios interesses. Regislene diz saber que serão muitas as barreiras enfrentadas, pois a política imposta na sociedade não está pronta para o tipo de representação que pretende fazer, mas crê em suas experiências, que a moldaram para enfrentar as dificuldades e ser a voz do povo dentro daquela Casa de Leis.

Regislene Fernandes diz ser pré-candidata por acreditar que se não pode mudar a política, pode ao menos ajustar algo de positivo nela. A professora espera ter a oportunidade de mostrar para o povo de Ceres que ser vereador é buscar compreender os problemas que afetam direta e indiretamente a população, seja de maneira coletiva, individual ou institucional, buscando aplicar soluções, posicionando e atuando corajosamente.

Escute no Spotify:

Comentários

Destaque

No dia do Servidor Público, 28 de outubro, SINDAVALE publica nota de agradecimento aos servidores públicos de Ceres

    Neste dia 28 de outubro –