Mulher que matou recém-nascido em Goiás tem prisão preventiva decretada e pode pegar até 33 anos

Mulher que matou recém-nascido em Goiás tem prisão preventiva decretada e pode pegar até 33 anos

- emPolícia

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª vara Criminal de Goiânia, decretou nesta segunda-feira (22) a prisão preventiva da professora que confessou ter matado a filha recém-nascida e escondido o corpo em uma caixa por 5 anos. A ordem refere-se ao crime de homicídio. A mulher, que tem 37 anos, já está detida por conta da ocultação de cadáver, outro delito pelo qual também responde no caso.

De acordo com o magistrado, se a decisão não fosse tomada, criaria um “senso coletivo de impunidade”, que poderia resultar em mais condutas criminosa praticadas pela mulher, “pondo em risco a paz e a incolumidade pública”. O advogado da mulher, Marcell Evelin de Paula, disse que vai recorrer da decisão.

A professora deu à luz uma menina em março de 2011, em Goiânia. A criança nasceu saudável e, um dia após o parto cesárea, realizado em uma maternidade particular da capital, ela recebeu alta. O homicídio só foi descoberto no último dia 9, após o ex-marido ir até o escaninho do apartamento buscar alguns pertences pessoais e encontrar uma caixa com o corpo.

Para Alcântara, a investigação concluiu que a professora premeditou o crime, pois “nunca se preparou para a gestação, não realizou pré-natal e tampouco comprou enxoval para receber a recém-nascida”. Se for condenada, ela pode pegar até 33 anos de prisão.

Comentários

Destaque

Polícia Civil de Rialma conduz suspeito de crime de receptação culposa à delegacia

    Nesta quarta-feira, 16 de setembro de