Governador Ronaldo Caiado afirma que Goiás vai receber vacina contra a Covid-19 a partir de janeiro

Governador Ronaldo Caiado afirma que Goiás vai receber vacina contra a Covid-19 a partir de janeiro

- emGoiás, Pelo Brasil, Pelo Mundo, Política, Saúde
Foto: Reprodução/Instagram

.

.

Matéria: reprodução/G1 Goiás

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), anunciou nesta terça-feira (20) que a vacina contra o coronavírus vai ser distribuída para o estado goiano a partir de janeiro do ano que vem e de forma gratuita, por meio de um programa nacional de imunização a ser elaborado pelo Ministério da Saúde (MS).

“Cada frasco vai dar para imunizar e vacinar 10 pessoas. Era tudo aquilo que esperávamos durante esse tempo todo”, disse o governador.

Ao todo, o governo federal vai comprar vacinas de três institutos diferentes: Butantan-Sinovac, AstraZeneca e Covax. Todas estão em fase de testes.

Os primeiros a serem imunizados serão os profissionais da saúde, que atuam na linha de frente no combate à doença, e as pessoas que fazem parte dos grupos de risco, conforme explicou Caiado.

“A partir de janeiro veremos um número significativo de vacinas sendo transferidas pelo Ministério da Saúde. Nenhum estado terá prioridade. A política será nacional. Então minha gente, estamos com uma saída boa e vamos voltar à vida normal daqui uns dias”, ressaltou o governador.

A Secretaria Estadual de Saúde de Goiás informou nesta terça-feira que 240.415 pessoas foram contaminadas com o novo vírus desde o início da pandemia. Do total, 5.444 morreram pela doença.

186 milhões de doses

Durante reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o governador informou em um post nas redes sociais que serão adquiridas 186 milhões de doses ainda no primeiro semestre de 2021, dos institutos Butantan-Sinovac, AstraZeneca e Covax.

A compra do antígeno produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac será de 46 milhões de doses, como anunciou Caiado. Chamada de CoronaVac, a vacina ainda precisa ter a eficácia comprovada antes que o uso seja liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nos testes, são aplicadas duas doses do imunizante por voluntário.

“Minha gente, apresento a vocês a vacina Butantan-Sinovac contra a Covid-19. Agora, em reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ficou confirmado que até janeiro de 2021 serão adquiridas 46 milhões de doses. Junto às outras duas vacinas, AstraZeneca e a Covax, teremos 186 milhões de doses ainda no primeiro semestre do ano que vem”, disse o governador no post.

Foto: Reprodução/Instagram

Fase de testes

Sobre a eficiência e segurança da vacina, Caiado destaca que não pode “desacreditar do trabalho feito pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”.

“Veja bem, não posso desacreditar de todos os testes de uma vacina que tem três etapas a cumprir. Enfim, a responsabilidade é muito grande nessas coisas”, pondera o governador.

Segundo Pazuello, quando a vacina for aprovada, as doses serão distribuídas a todo o Brasil por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que há décadas é responsável por campanhas nacionais de vacinação.

“Temos a expertise de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de PNI. As vacinas vão chegar aos brasileiros de todos os estados”, disse Pazuello.

Comentários

Destaque

Prefeitura de Ceres irá realizar festa para as crianças no Parque Curumim no próximo sábado (16)

    No próximo sábado, 16 de outubro,